08 junho 2010

A Miss Simpatia do Meu Coração Despedaçado


Tudo começa em uma noite de dezembro, festa na beira da piscina, com todas as promessas da melhor noite do ano. Amigos por todos os lados, várias mulheres, todas dançando, buscando muito mais do que um homem pra dançar. Entre cabelos balançando, corpos se roçando, de repente, ela surge; sorridente como sempre, com aquele par de olhos BRILHANTES, e a graça natural que após tanto tempo de convivência poderia reconhecer mesmo que fosse cego.

Eu esperava que ela viesse, mas não havia me preparado pra vê-la chegando como se fosse a Miss Simpatia do meu coração despedaçado.

A primeira coisa que reparo, depois desses 4 meses e 4 dias intermináveis que seguiram o fim do nosso namoro, é nos cabelos compridos quase todo os fios abaixo dos seios, brilhantes, com balanço; já começo a sonhar no momento em que vou deixá-la de costas e puxar aqueles cabelos com força e beijar o pescoço e AHHHHHHHHHHHHHHH

Continuando...

A pele perfeitamente beijada pelo sol, foi a segunda coisa que reparei, ela não esta parecendo uma torrada queimada e nem com o aspecto de primeiro sol, ela esta com aquela cor que remete a pecado, que repete a marquinhas, que remete AHHHHHHHHHHHHHHHHHH

Vamos lá, força, tu consegue superar essa.

Para deixá-la, ainda, mais perfeita ela usa um vestidinho branquinho bem virginal, com botõezinhos no decote que molduram os seios esculturais deixando-os ainda mais perfeitos e arremata tudo com um cintinhoo bobinho com dois coraçõezinhos que ficam bem onde eu queria estar agora, entre os seios e o ventre dela. Dava tudo para estar no lugar desse cintinho rosinha. E falo no “inho” porque ela é a figura do perfeito em um tamanho pequeno e ideal.

Não tenho coragem pra dar um "oi", não consigo me mover, ela esta do meu lado, sorrindo, e cumprimentando todas as pessoas que chegam para falar com ela. Se eu fosse lá, é certo que ela iria me dar um "oi", jogaria o cabelo e daria um daqueles sorrisos de lado, que me torturam até hoje quando penso nela. Mas não posso ir lá dar um "oi", ela vai achar q eu ainda estou afim dela, o que pode até ser verdade, mas foi ela que saiu da minha vida, ela tem que correr atrás de mim, não eu.

CARA, PUTA QUE PARIU. Até o pirralho do meu irmão tá azarando ela há quase uma hora, que merda esse guri tem pra falar com ela ????, e o que ela ta dizendo pra ele?. RELAXA. Vou continuar aqui na minha, fazendo pose de garanhão, macho forte, predador, não tô nem ai pra quem tá falando com ela, vou continuar aqui com o meu único amigo que não me traiu, não deu "oi" pra ela. Pelo menos ele fica firme do meu lado.

Mas que merda. Porque que essa guria tinha que surgir assim GOSTOSA e perfeita? depois de ter me dado um pé na bunda, só por que eu não quis ir pro Chile ou Uruguai com ela, ou porque eu não quis dar pra ela um salão cor de rosa. Mas vá se FUDER. Podia ter vindo feia e meio descabelada, já vi ela pior que isso, e eu ainda ia gostar dela,

Enquanto a Miss Simpatia esbanja seu charme eu continuo aqui me afundando nesse copo de cerveja quente e pela metade, que vai me consumindo, e vai tirando a minha coragem. Mas eu juro que se ela passar por mim e me olhar eu saio atrás dela e digo pra ela tudo que eu tenho guardado, assumo de uma vez que eu quero ela de volta.

Eu vou lá cara. Vou chegar, no meio de toda aquela gente esnobe que rodeia ela, e vou dizer que: eu quero ela de volta, que não posso viver sem ela, e que apesar de ter sido o idiota que deixou ela na mão três dias antes da ida para Buenos Aires, e que apesar de ter morrido de medo quando vi que ela tinha atingido um lugar muito mais fundo do que o meu fundo; eu vou dizer que apesar de tudo ela ainda é a mulher que me faz tremer, e que toda vez que ela mexe os cabelos, e aqueles fios balançam, cada parte despedaçada do meu coração balança junto e só para quando aqueles fios castanhos dourados meio negros param.

Bah, perfeito, a guria que ela sempre teve ciúmes, ta aqui, e dançando do meu lado, vou aproveitar, vou ameaçar que vou ficar com a “VADIAZINHA” como ela dizia, quem sabe ela não fica brava e vem tirar satisfação. ÓBVIO, ela faz uma crise de ciúme, e isso vai me deixar cristalino que ela ainda me ama, e eu não vou precisar deixar meu orgulho de lado, não vou ter que admitir nada pra ela. Eu vou estar por cima da carne seca. O cara disputado.

NÃO PODE SER

Aquele idiota que sempre me odiou tá cercando ela. AQUELE FILINHO DA MAMÃE, MIMADO, CARINHA DE BOM MENINO, BAITA FILHO DA PUTA QUE TEM NAMORADA. Não, ela não vai cair nesse papo furado, jura, se eu pensar bem firme ela não vai beijar esse filha-da-puta, é capaz dela virar e me ver e ...

PUTAQUEPARIU ele tah falando no ouvido dela. PORRA, essa cerveja quente, choca, tá detonando meu estômago, não, não é a cerveja; o que esta corroendo meu fígado é ver o jeito como ela olha pra ele com aquele par de estrelas cintilantes que não precisam de uma boca, eles sorriem sozinhos, e a forma como ela mexe o cabelo quando fala com ele- isso SOQUEIA O MEU ESTÔMAGO.

MERDA.

Durante esses quatro meses pensei muito nesse dia, e, será que em nenhum momento naquela mente vazia, que só pensa em viagens e salões cor de rosa, cruzou a maldita possibilidade do nosso encontro nessa festa?

JÁ ERA.

A “vadiazinha” continua dançando do meu lado, e a Miss pegueiumidiota Simpatia, nem olha pro meu lado, ela não olhou nem uma vez. Ela nem sequer cruzou perto, ela acha que não me ama. Tanta expectativa por nada. Eu vou pegar essa “vadiazinha” mesmo, total ela não para de se roçar em mim, pelo menos não saio no zero a zero.

Entre uma mão no peito da "vadiazinha" e outra no meio das pernas dela, só consigo pensar em quando, a Miss Simpatia do meu coração despedaçado, acordar amanhã e perceber a merda que ela fez, ela vai me ligar, e eu, eu vou rir da cara dela, mas vou deixar ela acreditar que por caridade eu vou ficar com ela, afinal de contas ela não precisa saber que eu peguei a “vadiazinha” e muito menos que eu amo ela.

São seis da manhã, tô largando a “vadiazinha” na casa dela, e ascendendo um baseado disposto a queimar naquela ponta todas as frustrações da noite: Não ter falado com ela, aturar ver o idiota pegando ela, e tentar a todo custo gozar na "vadiazinha" pensando nela.