14 julho 2008

back to the game


Estou ausente eu sei, mas tive semanas dificeis, só agora estou voltando ao meu ritmo de inspiração e tal. Nesta semana mais do que nunca, já que me encontro num estado que me permite muita meditação e muita muita leitura. Nesse meio de leituras e tempo de reflexão, encontei um livro que fazia muito tempo queria ler “Sedução: uma estrada de mão dupla”.
E digamos que o livro é um tanto quanto muitooo machista e colocado de uma forma simples e direta. É o relato de um homem que decide de livre e espontânea vontade contar segredos que os homens não contam, mas que segundo ele são as maiores verdades.
Tipo : Homens querem mulheres que saibam ser vagabundas na cama. Mas assim isso é velho e notório tem um ditado que certamente é mais velho que a minha mãe que diz: "o homem quer uma dama na sala e uma puta na cama", mas segundo o autor do livro as mulheres se vestem como putas, mas na cama tem crises existênciais. E aí entra uma questão que a cada dia me convenço mais, CONVICÇÃO, sim sem ela não se pode fazer nada, nem mesmo transar.
E nesse ponto concordei com o autor, quantas vezes vi as minhas amigas, fazerem mil e uma estrepolias montarem as maiores estrategias, do tipo se fazer de indiferente ou do tipo Just Sex, para terem o cara, e quando ele esta ali, e bom quer ver se tudo aquilo é verdade mesmo, elas desmoronam e choram ou falam algo q coloca tudo a perder, Pq? Porque elas não estavam fazendo por elas, mas por eles. Estavam tentando ser o que eles queriam e não aquilo que elas realmente sentiam.
Isso vale para homens e mulheres.
Ser quem somos, e não ter medo disso, é a chave para que as coisas dêem certo com quem estamos, ou para que esse “quem” deixe o caminho livre para o próximo.
X.O.X.O

Nenhum comentário: